Hamilton espera melhora na segurança após assalto: “Amo correr aqui”

Na sexta-feira, membros da Mercedes foram assaltados na saída do Autródromo de Interlagos. Inglês criticou a falta de segurança para as equipes no GP do Brasil

Por: GE

gettyimages-873258112

Mesmo após um verdadeiro show de pilotagem em Interlagos, onde saiu de último para receber a bandeira quadriculada na quarta posição, Lewis Hamilton não conseguiu escapar da polêmica que rondou o paddock da Fórmula 1 neste final de semana. Na noite da sexta-feira, membros da equipe Mercedes foram assaltados na saída do autódromo, o que gerou indignação do tetracampeão mundial. Após o GP do Brasil, realizado no domingo, o piloto britânico voltou a comentar sobre a falta de segurança em São Paulo.

– Eu, honestamente, não entendo nada da política, a taxa de crimes, se a segurança está melhorando ou não. Acho que o incidente que aconteceu com a gente… é difícil implementar alguma coisa imediatamente para o dia seguinte. Este final de semana, definitivamente, (o assalto) foi destacado mais do que nunca como um problema. Eu, pessoalmente, me certifico em ter seguranças aqui, uma escolta da polícia, e nunca me senti ameaçado. Mas não é o mesmo para todos os outros. Acho que no México existe um esquema melhor, mesmo os hotéis, por exemplo. Espero que no ano que vem isso seja ajeitado. Definitivamente, acho que não devemos deixar isso de lado, e sim procurar a solução, usar isso como uma oportunidade para melhorar. Espero que o governo também veja isso como uma oportunidade.

No sábado pela manhã, Hamilton postou duas mensagens em sua conta no Twitter, exigindo melhorias na segurança das equipes durante o final de semana do GP do Brasil.

– Alguns membros da equipe tiveram armas apontadas ontem à noite saindo do circuito aqui no Brasil. Tiros foram disparados, e armas colocadas em suas cabeças. Isso é muito triste de se ouvir. Por favor, mandem orações para meus caras que estão aqui, que estão sendo profissionais, mesmo abalados. Isso acontece todo ano. A F1 e as equipes precisam fazer mais, não há mais desculpas – disse.

De cabeça mais fria após a corrida, Lewis deixou claro que não deseja o fim do GP do Brasil, e valorizou a participação dos fãs nas arquibancadas.

– Eu, definitivamente, acho que temos que correr aqui. Amo correr aqui. Eu gostaria que o traçado fosse mais longo, como o antigo. Se não tivessem os fãs nas arquibancadas, não teria metade do apelo. Os fãs, a atmosfera, os aplausos, a energia que vem das arquibancadas… quando participei da Parada dos Pilotos antes da corrida, vi que algumas das arquibancadas são 100m de distância da pista. Eu entendo o porquê de algumas pessoas não irem a uma corrida de Fórmula 1, particularmente, porque custa uma fortuna e você precisa de binóculos para ver os carros. Mas, definitivamente, acho que precisamos continuar correndo aqui.

<

Copyright © Tribuna1.com - Todos os direitos reservados. Não nos responsabilizamos pelo conteúdo de sites externos.