Escolas mantém horta com participação de alunos e subsídio da Semaf

Projetos têm resgatado valores, permitido mais qualidade de vida para a comunidade escolar .

Por: Assecom

horta na escola 1

Projetos de hortas mantidos em escolas municipais de Dourados têm resgatado valores, permitido mais qualidade de vida para a comunidade escolar destas unidades e destacado a participação da Secretaria Municipal de Agricultura Familiar (Semaf) nas ações. Tudo graças a projetos que as escolas têm idealizado e que conquistam frutos positivos, servindo como referência.

Esta semana, alunos da Escola Municipal Fazenda Miya, fizeram a colheita da produção, resultado de uma parceria entre a escola, através da Secretaria Municipal de Educação, e a Semaf. Segundo a coordenadora das Escolas do Campo, Angelita Barros, o projeto é denominado ‘Horta na Escola’ e já acontece na Escola Municipal Coronel Firmino Vieira de Matos, também no Guassu.

“A equipe da Semaf foi na escola, fez os canteiros e forneceu as mudas. Daí em diante, a escola tem a responsabilidade de cuidar”, explicou.

Segundo Angelita, as hortaliças são utilizadas na merenda escolar e até distribuídas para os alunos levarem para casa, devido ao sucesso da produção. “Nosso intuito é estender estes projetos e manter estas parcerias”, disse.

Segundo o engenheiro agrônomo da Semaf, Marcelo Resende, a secretaria atende às escolas de acordo com o projeto que elas desempenham e, em Dourados, além das escolas no Guassu, outras duas unidades municipal mantém hortas e obtiveram apoio. “O que nos deixa muito feliz é que estas são iniciativas das próprias escolas. Não é um projeto da Semaf, embora a secretaria contribua. Isto mostra que as escolas têm se preocupado com a consciência agroecológica”, disse.

Em geral, a Agricultura fornece insumos como a maravalha (componente da preparação do solo) e mudas, além da preparação dos canteiros e orientações sobre o plantio, as melhores cultivares, entre outros. “Tudo deve ter um planejamento e a escola deve procurar a Semaf para que esta programação ocorra e a demanda seja suprida”, explicou Marcelo, ressaltando, por exemplo, que as mudas carecem de tempo para serem produzidas.

Ainda segundo a Semaf, três escolas estaduais recorreram à Secretaria de Agricultura do município com o intuito de receber apoio para a implantação de horta nas escolas. As unidades estaduais Rita Angelita, Floriana Lopes e Alício Araújo foram assistidas. Além disso, outro projeto parecido nas escolas da Reserva Indígena, idealizado pela comunidade nas aldeias, recebeu assistência da Semaf.

 

<

Copyright © Tribuna1.com - Todos os direitos reservados. Não nos responsabilizamos pelo conteúdo de sites externos.