Adoçantes artificiais fazem mal para a saúde?

Utilizado por um número cada vez maior de pessoas, os adoçantes devem ser consumidos com moderação

Por: PROTESTE

adocante-faz-mal

 

Nos dias de hoje a alimentação saudável tem sido relacionada, de forma equivocada, a estar magro, fazer diversas restrições alimentares e consumir inúmeros produtos industrializados com a justificativa de melhorar a saúde – um dos queridinhos do mundo “fitness” é o adoçante artificial.
De um lado está a mídia, que tem sido de grande relevância na multiplicação deste tipo de concepção equivocada sobre saúde. Do outro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) segue defendendo que a saúde é como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afeções e enfermidades”. O adoçante artificial acaba consumido como um alimento saudável, apesar de ter sido desenvolvido para atender a uma clientela específica, que possui necessidades especiais como portadores de diabetes e obesos.

Em dietas para emagrecimento, o adoçante artificial contribui para reduzir a ingestão energética diária e para evitar a ingestão de açúcar e a desordem metabólica cuja qual resulta.

É importante destacar que a relação do consumo de açúcar com distúrbios metabólicos consiste do seu consumo excessivo, que é determinado pela porção e frequência de ingestão. A OMS estabelece os limites de ingestão diário aceitáveis para adoçantes artificiais como recomendação para um consumo seguro destes produtos. Esta segurança alimentar se refere a efeitos toxicológicos, carcinogênicos e/ou teratogênicos, relacionados ao consumo destas substâncias adoçantes.
Veja abaixo os limites de ingestão diária aceitável (I.D.A.) para cada tipo de adoçante artificial:
planilha-adocantes
Assim, é importante consumir este tipo de produto conforme a sua necessidade individual. Crianças e gestantes só devem consumi-los em casos de indicação clínica sob a prescrição de um nutricionista. Na prática, é mais difícil calcular pela I.D.A., então o consumo diário pode ter por base a referência do equivalente em açúcares para o controle da ingestão.  De uma maneira geral, 3 a 5 gotas de adoçante equivalem a 1 colher (chá) de açúcar e 1 sachê de adoçante equivale a 2 colheres (chá) de açúcar. Sendo assim, para adoçar corretamente 1 copo de café-com-leite, por exemplo, 1 sachê ou 6 a 10 gotas de adoçante são suficientes.
Gostou deste conteúdo? Cadastre-se agora e receba gratuitamente informações da PROTESTE! Se você é associado e precisa de ajuda, ligue para nosso Serviço de Defesa do Consumidor pelo 0800 282 2204 (de telefone fixo) ou (21) 3906-3900 (de celular).

<

Copyright © Tribuna1.com - Todos os direitos reservados. Não nos responsabilizamos pelo conteúdo de sites externos.